Publicidade

Como combater o mofo-branco: principais medidas preventivas!

Como combater o mofo-branco

Como combater o mofo-branco. A princípio, os agricultores precisam estar cientes de alguns aspectos associados a esta doença, incluindo medidas que precisam ser tomadas para evitar sua propagação nas culturas.

Como combater o mofo-branco

Publicidade

Pelo que já apresentamos acima, o mofo branco é uma doença que se espalha pelas principais regiões produtoras do Brasil (e em muitos países), atacando plantas e causando sérios danos. Portanto, combater este fungo é a tarefa “número um” para os agricultores.

Dessa forma, uma das primeiras medidas, quando a área já está perturbada, é combater os escleródios que estão no solo e reduzir sua disseminação em plantas já doentes. Nesse sentido, os usos mais comuns são a base de fluazinam e procimidona, de forma isolada ou em associação com tiofanato metílico ou carbendazim.

Medidas preventivas contra o mofo branco

A pesquisa está em andamento para obter variedades de soja (e outras culturas) que são mais resistentes ao mofo branco, no entanto, até agora, nenhuma delas é completamente resistente a doenças. Daí a necessidade de medidas preventivas. Confira algumas delas:

Publicidade
  • A princípio, rotação com culturas não hospedeiras, ajudando não só para uma melhor estruturação do solo, mas também no combate a parasitas;
  • Dessa forma, um sistema de plantio direto ajuda a reduzir a incidência da doença uma vez que dificulta o contato da planta com o solo contaminado, o que levaria ao desenvolvimento do fungo;
  • Nesse sentido, é bom eliminar plantas invasoras que são hospedeiras do fungo;
  • Evitar o plantio em períodos chuvosos em áreas que são propensas à doença;
  • Palhada no solo pode reduzir a formação ou desenvolvimento do fungo;
  • Controle biológico através da infestação do solo com agentes antagonistas;
  • É recomendado também o uso sementes de boa qualidade e tratadas com fungicidas adequados;
  • Controle químico, através de pulverizações foliares de fungicidas, principalmente no período de maior vulnerabilidade da planta;
  • Ainda assim, outra prioridade está em escolher variedades que permitam uma boa aeração entre plantas (com folhas pequenas e pouco ramificadas);
  • Respeitar o espaçamento entre linhas adequados aos cultivares que foram plantados;
  • Limpeza de máquinas e equipamentos após utilização em área infestada com o propósito de evitar a proliferação de escleródios em novas áreas.
5/5 - (1 {VOTO})

  Fala pessoal, espero que vocês estejam todos bem. Meu nome é Marlus, escrevo para o Blog desde 2018, sou apaixonado pelo setor agrícola. Estou sempre trazendo as melhores dicas sobre plantações para você manter sua roça linda.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *