Publicidade

Tecnologia beneficia a colheita de café plantado em montanhas

Tecnologia beneficia a colheita de café plantado em montanhas

Tecnologia beneficia a colheita de café plantado em montanhas. A princípio, por quase dois séculos, o Brasil é o maior produtor mundial de café. Na safra 2018-2019, representou 35,3% da produção global.

Tecnologia beneficia a colheita de café plantado em montanhas

Publicidade

Dessa forma, o país também se destaca como o maior exportador desse produto, o que torna a economia brasileira extremamente importante.

Máquinas de Cafeicultura

De acordo com a CONAB (2019), a área total cultivada em países com café chega a 2,16 milhões de hectares. Destes, um total de 1,84 milhão de hectares (85,3% da área) estão em produção.

Um dos avanços tecnológicos é o uso de máquinas de plantas para reduzir os custos de mão-de-obra e o tempo de colheita. Isso pode representar uma economia de até 50%.

Publicidade

O problema é que a maioria dos equipamentos disponíveis no mercado não está disponível para plantas de café cultivadas em terrenos acidentados e montanhosos.

Os modelos atualmente disponíveis só podem ser usados a uma inclinação máxima de 10%. Acima de tudo isso, a única solução é a auto-colheita.

Soluções para o problema

Publicidade

A solução para a colheita nessas culturas é a derriçadeira costeira, tecnologia desenvolvida pela Embrapa que multiplica pelo rendimento quatro vezes o dos trabalhadores do campo.

Ele começou a ser projetado em 1997, mas só foi comercializado desde 2004, destinado a cafezais nas montanhas baixas de difícil acesso.

A derriçadeira costeira é usada principalmente no processo de colheita em regiões como o sul de Minas Gerais, estado responsável por cerca de 55% da safra de café do Brasil.

Muitas dessas culturas são cultivadas em áreas montanhosas onde, apesar das dificuldades da terra, o café colhido é considerado de excelente qualidade e proporciona aos agricultores uma boa renda. Portanto, a tecnologia é um avanço muito importante.

O equipamento está sendo utilizado pela Cooperativa Regional de Cafeicultores em Guaxupé (Cooxupé) e  gerou um impacto positivo de R$770 milhões na safra de 2019.

Vantagens das novas tecnologias para a colheita de café em áreas montanhosas:

  • Multiplica por quatro a produtividade do trabalhador de campo.
  • Dispensa o uso de escada para colheita em plantas altas.
  • Provoca menos danos à planta que a derriça manual, o que beneficia a produtividade.
  • Por reduzir custos de produção, promove competitividade do café de montanha em relação ao produzido em áreas planas.
  • Por fim, projetada para relevos montanhosos, nos quais máquinas convencionais não entram, a derriçadeira se tem usada até em fazendas planas para fazer o “repasse”.

Veja em seguida outros posts como esse em nosso blog!

DEIXE SUA AVALIÇÃO

 Fala pessoal, espero que vocês estejam todos bem. Meu nome é Marlus, escrevo para o Blog desde 2018, sou apaixonado pelo setor agrícola. Estou sempre trazendo as melhores dicas sobre plantações para você manter sua roça linda.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *